Edição 2015

Edição

#2

O 2º Festival Concreto, em 2015, reuniu novamente artistas internacionais, nacionais e locais para celebrar a arte de rua com intervenções, seminários, oficinas, workshops e palestras. O evento aconteceu em diversos locais da cidade, como o Centro Cultural Dragão do Mar, na praia de Iracema, no centro da cidade, no anexo do Teatro José de Alencar e na Avenida Beira-Mar, entre tantos outros. Toda a programação teve entrada livre, gratuita. O Festival, que nasceu com o propósito de socializar a arte, busca aproveitar o potencial arquitetônico de Fortaleza, promovendo a interação e o diálogo com as mais diferentes culturas.
Em 2015, o Festival Concreto contou com participação de 25 artistas de doze países, 30 artistas nacionais, mais de 100 artistas locais, cinco bandas e o lançamento do projeto “Cine Mara Hope”, com a exibição do filme “Medo do Escuro”, do cineasta Yvo Lopes. Entre os destaques, a pintura da Caixa D´ Água da Praça da Imprensa, em Fortaleza, pelo artista Rafael Limaverde (CE), um diálogo com uma obra anterior, pintada há 30 anos no mesmo local - uma pintura, em 2015, com intensidade e força, com mais de 20 mestres de altura e um belíssimo desafio, uma semana inteira de trabalho e um tanto de ousadia; a 2ª edição contou também com o trabalho do artista grego Ino - a imagem impressiona e merece ser aplaudida, um anjo que faz uma alusão entre o bem e o mal, mas no fundo, pede paz, a arte foi batizada de ‘Céu e inferno na Terra’, tem no foco a questão da violência.Outra atração foi o surgimento do projeto Mobiliário Urbano que desenvolveu uma serie de peças em concreto para dispor em espaços públicos e promoveu a instalação da arquibancada para o pôr do sol na Praia de Iracema. Durante o evento, foram realizadas oito oficinas e dois seminários, que promoveram o intercâmbio cultural e fizeram refletir sobre a cidade e os modos de relacionamento no espaço urbano.


The 2nd Festival Concreto, in 2015, regrouped local, national and interntional artists in order to celebrate street art with interventions,seminars, workshops and talks. The event took place in several parts of the city, like the Dragão do Mar Cultural Center, in Iracema Beach, downtown, at the annex of The José de Alencar Playhouse , on Beira-Mar Avenue and many other places. All the functions were free. The Festival was born with the purpose of socializing art, it tries to use Fortaleza´s architectural possibilities and promotes interaction and dialogue between different cultures. In 2015, The Festival Concreto had 25 artists from 12 countries, 30 Brazilian artists and more than 100 local artists, 5 bands and the launching of The “Cine Mara Hope “ Project ,with the screening of “Medo do Escuro” ( Port. “Afraid Of The Dark”)by filmmaker Yvo Lopes. Among the highlights, the painting of the Water Tower in Imprensa Square, in Fortaleza, by artist Rafael Limaverde, from Ceará State. Actually, a dialogue with another painting that used to be there,30 years ago. This new painting by Limaverde, in 2015, made with great intensity, at the height of more than 20 meters, was a wonderful challenge. It took a whole week of work and lots of boldness. The 2nd edition of the Festival also had Greek artist Ino painting on one of the most prominent buildings of the city . His work , meant to condemn violence,was named “Heaven And Hell On Earth” and is worth-applauding . It depicts an angel that reminds us of good and evil, but that also asks us to choose peace. Another attraction at the Festival was the launching of the Urban Furniture Project, which installed several concrete pieces of urban furniture in order to make life easier to people in public spaces, like the “Sunset Bleachers” in Iracema Beach. During the Festival, eight workshops and two seminars were held, they promoted reflections on the city and urban space