Bigod

BIGOD, artista brasileiro autodidata, faz do seu talento ferramentas para construção de portas de fuga para a criatividade através do Graffiti.

Jocivaldo santos silva, batizado e confirmado na capoeira e no mundo da arte como Bigod, tem sua caminhada dedicada ao aprendizado e a constante busca da evolução que reflete o seu cotidiano em seus trabalhos.

Nascido em 1981, na capital do estado da Bahia, muito influenciado pelos desenhos animados, pelos quadrinhos e games foi apresentado ao mundo do graffiti no final dos anos 90. Ainda no colégio começou experimentando pintar em camisas com sprays e aerógrafo, e só mais tarde acabou estendendo-se para os muros.

Em 2005 fez parte de um projeto onde pintava todos os dias com isso inconscientemente seus traços e sua técnica tomaram uma tangente constante de crescimento, voltados muita das vezes para os personagens com quem tem mais afinidades e de onde nasceu sua marca registrada, Os sapos cururus das mais variadas formas e cores. Junto também veio a lembrança da sua infância perto da maré com os baiacus e da proteção ao desconhecido com as carrancas.

Seus trabalhos podem ser vistos em muitos locais de salvador e alguns interiores da Bahia. Com o intuito de propagar a arte e a cultura baiana através do graffiti foi convidado a executar murais em algumas cidades pelo mundo: Paris, Roma, Modena, Firenze, Veneza, Reggio Emillia, Verbânia, Milão, Bolonha, Bassano Del Grappa, Frankfurt, Wiesbaden, Berlin, Cidade do México e Tabasco são só alguns exemplos por onde “o sapo” já pulou.

Hoje Ilustrador e artista conceitual na AOCA game lab, Menbro da ABP-Academia Brasileira de Personagens um dos Criadores e curador do festival de graffiti BTC Bahia de todas as cores, faz parte da Nova10Ordem crew e é um dos sócios fundadores do Museu de street art de salvador o MUSAS que atua na comunidade do solar do unhão.

Bigod sempre foi autodidata e está sempre atrás de evoluir profissionalmente, com suas habilidades que vão além dos muros. Brincando com customizações para todo tipo de suporte, passando pela cenografia pelo design e publicidade até chegar aos games e jogos. A arte de bigod tem uma interação com o lúdico muito forte fazendo dele um imã para o imaginário coletivo, atuando em oficinas de graffiti no meio da rua, presente em mutirões de graffiti dentro de varias comunidades soteropolitanas, pintando creches e escola, popularizando e mostrando que a arte pode voltar de onde saiu e fazendo assim do graffiti sua porta de fuga para Shangrilla.